compra por impulso

Como fugir da compra por impulso para proteger o bolso

De acordo com dados da pesquisa “Uso do Crédito” realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 37% dos consumidores brasileiros dizem que compraram algo que não precisavam devido a facilidade de crédito.

 

Mesmo com a economia instável, grande parte das pessoas não conseguem proteger os bolsos de gastos desnecessários. Os entrevistados apontaram que as lojas virtuais são as que mais incentivam e facilitam a compra em crédito (29%), seguido de supermercados (19%) e lojas de departamento (17%).

 

Os itens mais comprados pelos brasileiros são roupas, calçados e acessórios. Além disso, perfumes e cosméticos, idas a bares e restaurantes e os smartphones também se destacam. Quando se considera que, de acordo com o SPC Brasil, 58 milhões de brasileiros têm dívidas em atraso, as compras por impulso são preocupantes.

 

Como diminuir a compra por impulso

 

O erro da maioria das pessoas ao buscar economizar é pensar que será possível parar de forma rápida e brusca de gastar por impulso. Assim como qualquer outra atividade em nossas vidas, é preciso tornar da economia uma rotina, e isso só acontece quando dividida em pequenas ações ao longo do tempo.

 

Alguns dos primeiros passos para parar de comprar tanto por impulso é ter consciência do dinheiro que está sendo gasto. Os valores imprevisíveis do mês precisam estar adicionados nesta conta antes mesmo de se pensar nas compras por impulso. Além disso, as compras por impulso devem contabilizadas depois de separar parte do que sobrou para a poupança.

 

Atitudes que irão fazer você deixar de lado a compra por impulso são:

 

  • Utilizar mais dinheiro vivo do que cartão para ter uma noção maior do que está sendo gasto;

  • Poder checar seu saldo do cartão de qualquer lugar e sempre checar antes de realizar uma compra por impulso;

  • Pagar boletos em dia para ter uma ideia do dinheiro que realmente está disponível;

  • Não deixar muito dinheiro na conta, depositando valores em uma poupança sempre que puder;

  • Saber quais são os gastos variáveis de cada mês;

  • Analisar com consciência se as promoções realmente valem a pena;

 

  • Disciplinar os dias para sair de casa para bares ou restaurantes;

 

  • Pensar sempre na necessidade antes da vaidade ao comprar roupas e acessórios.

 

Os aplicativos de pagamento de contas e depósito de dinheiro são grandes facilitadores para deixar as dívidas em dia e guardar o dinheiro na poupança a qualquer hora, de qualquer lugar. Conheça o Celcoin aqui e veja como fazer isso com simplicidade e rapidez.

 

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *