empréstimo

Use o empréstimo somente como última saída

Realizar um empréstimo pessoal pode ser tentador para muitas pessoas. Para conseguir, não são feitas muitas perguntas e nenhuma prova é exigida além do comprovante de renda. Entretanto, pegar empréstimos não é aconselhado pela grande maioria dos especialistas financeiros.

Para muitas pessoas, os empréstimos acabam se tornando uma rotina. Nestes casos, não é incomum que, antes de concluírem o pagamento de um, o empréstimo seja renovado e vire uma bola de neve gigante devido às altas taxas de juros.

O ideal é que esse recurso seja utilizado só em último caso, em necessidades extremas, e com um bom planejamento antes de tomar a decisão. O mais correto é ter um planejamento financeiro o quanto antes para adequar o seu padrão de vida às suas condições sem criar dívidas. Nós falamos aqui sobre os primeiros passos para esse planejamento.

 

Em quais situações devo usar o empréstimo bancário?

A principal razão para não pegar empréstimos bancários sempre são as taxas de juros altíssimas. Estas taxas são justificadas levando em consideração a atual situação financeira de quem necessita do empréstimo, assim como salário, renda, lucros, entre outros.

Entretanto, dependendo da situação, o empréstimo pode ser o recurso mais viável para solucionar dívidas financeiras, como nos casos a seguir.

 

Para pagar uma dívida com maior taxa de juros

Sim, as taxas de juros de empréstimos podem ser muito altas, mas se você possui alguma outra dívida com taxa ainda maior, o empréstimo pode ser uma boa opção. Por exemplo, quanto você precisa de dinheiro urgente, você pode emprestar uma pequena quantidade do banco, onde só serão pagos os juros mensais, e pagar o principal mais tarde. Claro que nesse tipo de situação é preciso negociar o prazo de pagamento total à quem está devendo e ter um bom planejamento de como conseguir o dinheiro até lá (sem mais empréstimos!).

 

Para pagar um saldo gigante de cartão de crédito

Você tem o costume de passar tudo no cartão de crédito e se viu com uma dívida gigantesca por causa disso? Pagar apenas o valor mínimo da fatura de cartão nunca é a melhor saída, pois os juros são cobrados sobre o valor total da conta e são muito elevados. A melhor solução nesses casos é fazer um empréstimo para quitar o cartão e ficar apenas com as parcelas do empréstimo pessoal.

 

Para cobrir custos de saúde ou educação

Quando se trata de imprevistos de saúde ou necessidades de educação futura, os empréstimos são boas alternativas. Da mesma forma, é importante prever se as taxas de juros irão caber no seu orçamento e se as consequências futuras irão valer a pena para quitar esse valor.

Não se esqueça que imprevistos podem acontecer, por isso evite acumular despesas e priorize compras à vista para não comprometer seu orçamento. E lembre-se sempre: antes de entrar em uma dívida, tenha em mente como você sairá dela.

 

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *