permuta

Esqueça o dinheiro e volte a realizar permutas

Quando estamos quebrados financeiramente, a falta de dinheiro parece restringir nossa vida para uma completa falta de opções. Não conseguimos consumir, o que muitas vezes significa que nos distanciamos de amigos ou familiares por não conseguir bancar encontros. Quando isso vem acompanhado do desemprego, tudo leva um peso muito maior.

Nesses momentos de crise, esquecemos de recorrer a forma primária de conseguir as necessidades mais básicas para uma vida: a troca. Antes do dinheiro, toda e qualquer transação se baseava na troca de serviços e produtos.

A economia de troca pode te salvar

É muito comum que pessoas que estão viajando para novos lugares usem desse recurso para conseguir moradia, alimentação e condições básicas de saúde. A permuta de serviços como cuidados com a casa, organização de hotéis ou hostels, atendimento em locais de turismo, cuidar de animais de estimação e bebês em troca dessas condições já se tornou muito comum.

Quando estabelecemos parcerias de negócio, essa troca também é usada como base para muitos serviços, onde uma mão lava a outra. A mais comum permuta nesse sentido é a divulgação do trabalho em troca de algum serviço quando a empresa está em seu início. Apesar de nem sempre esse tipo de troca ser justa, muitas vezes é uma forma bastante benéfica para ter seus produtos e serviços notados pelo público e impulsionar seu trabalho.

Ofereça o que você tem de melhor

Para sair de situações de desemprego, a permuta é fundamental. Chegar em locais onde seus trabalhos são necessários, escutar o que as pessoas necessitam de verdade e oferecer o que você tem de melhor te ajuda a formar conexões, criar redes de confiança e fazer nascer novas oportunidades.

Quando nos colocamos dispostos à ouvir e atender, mudamos nossas percepções e nos tornamos mais realizados na vida, mesmo que o dinheiro falte. E a partir daí, é muito mais fácil encontrar as condições para voltar a se reerguer financeiramente.

 

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *