fintechs

O que são fintechs e porque estão transformando experiências financeiras?

Quando o mercado financeiro e a tecnologia se unem, a forma como serviços e produtos financeiros são entregues se transforma. As fintechs nasceram a partir desse potencial de transformação da tecnologia, facilitando a realização de transações financeiras a partir de dispositivos móveis e outras plataformas ligadas à internet.

Os investimentos globais em fintechs cresceram 75% em 2015, passando de $9,6 bilhões para $22,3 bilhões e isso só tem ganhado força. O principal motivo para o crescimento exponencial das fintechs é o uso de recursos tecnológicos para trazer praticidade, facilidade de uso, redução de burocracia, entre outros aspectos que melhoram a experiência dos clientes.

O que são fintechs?

Fintechs são todas as empresas que se propõe a oferecer serviços relacionados ao dinheiro, a custos bem mais baixos que os dos bancos, e utilizando do imenso alcance e facilidades da internet. Devido ao uso de tecnologias de ponta, esse tipo de serviço é capaz de entregar resultados altamente satisfatórios.

As fintechs nasceram com o objetivo de aperfeiçoar e facilitar o relacionamento dos usuários de tecnologia com o universo da economia. Promovendo experiências superiores às que as tradicionais instituições financeiras proporcionam, as fintechs vêm crescendo por sua qualidade, por encurtarem prazos, driblarem burocracias e economizarem tempo.

Quem usa as fintechs?

Bancos, seguradoras e outras instituições financeiras tradicionais são os principais usuários da tecnologia financeira. Entretanto, o potencial desse mercado tem sido melhor aproveitado por startups, utilizando a tecnologia para tornar mais simples processos de pagamento, combater fraudes, entre outros.

Por que as fintechs são importantes?

As fintechs podem oferecer uma ampla variedade de serviços, tanto para pessoas físicas, quanto para empresas e demais instituições. Alguns desses serviços não são muito diferentes do que encontramos em bancos e afins, como o fornecimento de cartão de crédito, meios de pagamentos, financiamentos, transferência de recursos, entre outros.

O que difere é a maneira como esses serviços são oferecidos e o potencial de melhorar a qualidade das experiências. Isso acontece principalmente porque as fintechs são capazes de:

  • Aumentar a competitividade para combater monopólios bancários;
  • Diminuir custos financeiros para os clientes;
  • Trazer acessibilidade de serviços para quem não usa bancos tradicionais;
  • Permitir maior praticidade na realização de operações financeiras de qualquer lugar.

Exemplos de fintechs brasileiras

No Brasil, temos muitos exemplos de fintechs que tem se destacado no mercado financeiro, competindo com grandes corporações. A principal delas é a Nubank, banco digital que começou a operar em 2014 disponibilizando apenas um produto: um cartão de crédito internacional com bandeira MasterCard.

Parece como qualquer outro banco, mas não é. Com a Nubank nenhum cliente paga anuidade e outras tarifas, não importa o seu perfil de renda ou se o cartão é pouco usado. Além disso, a principal funcionalidade fica no smartphone do usuário: com o aplicativo da Nubank é possível ter absoluto controle sobre o cartão de crédito.

Além dessa fintech, outras se destacam como o GuiaBolso, ferramenta de controle financeiro e o Celcoin, maquineta de para recargas, pagamentos de contas, revenda de passagens e muito mais.

 

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *