Planilha de preços: o que você precisa saber para montar a sua

Uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos empreendedores é saber que preço atribuir aos serviços e produtos, mesmo com a precificação sendo um ponto fundamental para a gestão de qualquer negócio. Muitos se baseiam em preços da concorrência ou o que consideram valores justos, mas para estabelecer o preço dos produtos é preciso ficar atento e levar em consideração uma série de elementos. E por conta da necessidade de se elaborar uma precificação correta dos produtos e serviços, a planilha de preços se transforma em uma ferramenta essencial para orientar os lojistas e os empreendedores. E para ajudar nesta etapa essencial do seu negócio, preparamos algumas dicas para você montar uma planilha de preços que seja eficiente e saudável para o seu empreendimento. Confira:

1. Use ferramentas específicas

A maneira mais prática e rápida de montar uma planilha de preços eficiente e correta é aproveitar as diversas ferramentas para a criação de planilhas disponíveis no mercado, como o Excel da Microsoft, por exemplo. Ao montar uma planilha de preços neste tipo de programa, você tem uma visão mais geral dos itens que o seu estabelecimento oferece e tem à mão cálculos automáticos que otimizam ainda mais o processo.

2. Estabeleça valores por categoria de produto

Para fazer uma planilha de preços de forma correta, é preciso separar os produtos em diferentes categorias, como, por exemplo:  itens mais vendidos; itens com maior valor agregado ou mesmo tempo necessário para a execução de um serviço etc. Isso porque cada produto possui seus custos variáveis, como imposto, transporte, matéria prima etc., e que interferem na definição do preço de venda. Ou seja: ao criar uma planilha de preços, tenha sempre em mente que custos diferentes requerem valores de venda diferentes.

3. Crie planilhas para cada item

  • Planilha de produtos: Ao criar uma planilha de preços para o seu negócio, diversos elementos relacionados aos custos precisam ser levados em consideração. No caso da planilha de produtos, considere: preço de compra, salário de funcionários, despesas fixas e o lucro esperado.
  • Planilha de serviços: A planilha de preços de serviços é um pouco mais complexa porque ela não tem os mesmos elementos mais diretos da planilha de produtos. Portanto, o cálculo de preço destes itens deve levar em conta: o deslocamento, a hospedagem, a alimentação dos funcionário, o tempo que eles levarão para executar o serviço e, é claro, o lucro;

4. Considerar custos de cada precificação

Como dito anteriormente, ao criar uma planilha de preços, seja para produtos, serviços ou projetos, é fundamental considerar todos os custos envolvidos. Isso porque a planilha de preços tem um certo grau de complexidade, mas tudo para evitar erros e prejuízos não previstos. Assim sendo, ao definir a precificação correta do que você vende, considere: o custo da matéria-prima, os impostos, o custo de fabricação, as despesas gerais da empresa e lucro que se espera obter.

5. Automatizar a planilha

A elaboração de uma planilha de preços precisa ser exata para garantir que o empreendedor tenha bem claro o quanto pode mexer no faturamento sem sofrer com o risco de prejuízos. Além disso, a planilha de preços tem uma importância significativa para a gestão de qualquer empreendimento, já que ela orientará a boa regulação do fluxo de caixa, poderá evitar danos financeiros e ainda garantir a lucratividade. Por isso, a planilha de preços precisa ser funcional e a melhor forma de garantir isso é com a geração de resultados automáticos. Com isso, é possível padronizar fórmulas e percentuais para que a própria planilha ofereça os resultados, o que deixa o trabalho mais prático, rápido e com maiores chances de acerto.

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *