Plataforma digital revoluciona o mercado

Sabe-se que número de usuários de internet é crescente e que, atualmente, as pessoas passam uma boa parte do dia online. Consequentemente, os meios tradicionais de compra têm perdido espaço para o comércio digital. Os itens mais comuns para se comprar online são roupas, calçados, eletrodomésticos, ingressos e artigos eletrônicos. Porém, a internet também tem se tornado uma ótima ferramenta para tornar o dia a dia mais prático, então por que não usá-la também para contratar serviços funerais?

Pode parecer inusitado, especialmente se considerarmos que a morte é um dos assuntos mais difíceis de lidar e não é algo interessante para se planejar. Porém, justamente por ser um momento de perda e luto, ter que lidar com burocracias e custos torna tudo ainda pior. E é aí que entra a ziigo, plataforma exclusiva para quem efetuar a compra de jazigos, contratar seguro funeral e jazigo, além de outros serviços funerários pela internet.

A proposta é permitir aos clientes planejarem esta etapa e deixar seus familiares amparados, para que eles não se preocupem com tudo isso em meio a uma perda. Um dos serviços disponíveis é a compra de um jazigo ou uma cova pela internet com parcelamento em até 360 meses. A empresa oferece também a opção do cliente contratar um Seguro Funeral para a família, que garante toda a assistência funeral para sepultamento ou cremação.

Outra ideia é oferecer, futuramente, a venda de produtos complementares, como urnas, caixões, flores e qualquer outro acessório necessário para um funeral ou ritual de cremação. Isso inclui, inclusive, viagens para familiares e amigos espalharem as cinzas dos falecidos e a opção de customizar todos os detalhes.

A plataforma é 100% digital e conta com alta tecnologia e praticidade. Mas além de toda assistência online pela plataforma digital, existe a opção de venda presencial por meio de vendedores credenciados. O foco é a comodidade e amparo às famílias por meio do compromisso de entregar fim digno para seus entes queridos, com honestidade e qualidade.

Mercado promissor

Por mais que muita gente encare o tema morte como um tabu, é fato que ela chega para todos em algum momento. Isso significa que se hoje temos 7,7 bilhões de pessoas vivas em todo o mundo, em algum momento todas essas pessoas passarão por isso. Esse fato torna o “mercado da morte” um setor muito promissor, tendo em vista que tem uma demanda constante e garantida.

Atualmente, o setor de cemitérios e crematórios privados no Brasil movimenta cerca de R$ 7 bilhões por ano, de acordo com o sindicato dos cemitérios. A média de crescimento do faturamento é de 8% e a estimativa para 2019 é a mesma.

Criação da ziigo

Ao perceber toda essa demanda e a defasagem existente no “mercado da morte”, cinco sócios – Vicente Conte Neto, Adriano Napoli, Fabiano Loures, Bernardo Teixeira e Stella Costantini Conte –  resolveram fundar a ziigo como uma plataforma para quem quer contratar serviços funerários pela internet.

Tudo começou quando Conte Neto percebeu que o setor não tem uma boa estratégia de comercialização de jazigos, covas, gavetas e ossários. Sócio da gestora Zion Invest, que administra o primeiro fundo de investimento imobiliário em cemitérios do Brasil (CARE 11), ele procurava uma forma de comercializar os 2.500 jazigos do estoque do cemitério do Morumby, em São Paulo, e de outros investimentos do CARE11. 

Conversou, então, com amigos e montou, no ano passado, a ziigo, primeira plataforma online dedicada ao “mercado da morte”. No momento, a plataforma já conta com dois serviços: o seguro funeral com a opção complementar de aquisição de seguro jazigo e a venda de jazigos nos cemitérios do Morumby e da Terra Santa, em Minas Gerais. Mas o plano dos cinco sócios é comercializar sepulcros de cemitérios do país todo e incluir outros detalhes, como a personalização da cerimônia. A meta da ziigo nos próximos anos é se tornar o maior grupo de cemitérios no Brasil sem ser dono de se quer um cemitério, assim como funcionam iniciativas como Expedia de viagens e Airbnb de aluguel de apartamentos.

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *